Clara conheceu a música na igreja, mas se apaixonou mesmo pelo rap. Cantando e rimando sobre suas origens, a jovem mineira vem ganhando espaço em um mundo que antes era dominado por homens.