No último sábado (17), o Movimento Nossa BH, em parceria com a BH em Ciclo e o projeto MobCidades, promoveu um evento voltado para a discussão de gênero e mobilidade. O principal objetivo era iniciar esse debate e tentar começar a organizar propostas para a V Conferência de Política Urbana, que acontecerá neste ano. Além disso, houve um bate papo entre três mulheres que atuam com mobilidade, a apresentação de dados sobre mulheres ciclistas em Belo Horizonte e uma oficina de reparos em bicicletas para mulheres.

O evento partiu do entendimento de que há uma demanda latente sobre a coleta de dados, e a criação de políticas públicas que sejam sensíveis a questões de gênero. Além disso é importante que tenham mais mulheres envolvidas em processos como o da conferência e em todas as esferas de participação popular.

O MobMulheres: diálogos de uma cidade para mulheres foi o primeiro encontro e aconteceu na Casa de Referência da Mulher Tina Martins. Na parte da manhã, a Amanda Corradi, que é integrante da BH em Ciclo, apresentou dados da pesquisa Descobrindo Como BH Pedala, mas com o recorte de gênero. Em seguida, as participantes puderam fazer a oficina de reparos com a Marina Rolim.

Na parte da tarde, as arquitetas e urbanistas Letícia Bortolon (ITDP) e Izabel Dias e a ativista Floricena da Silva, do Busão da Comunidade, compuseram a mesa e falaram um pouco de suas experiências com a mobilidade. A roda de conversas serviu de subsídio para que os participantes pensassem em propostas para a Conferência. O movimento Nossa BH irá juntar essas propostas e formalizar um documento com tudo o que surgiu a partir deste encontro.

Foi elaborado um texto com alguns dados para que servissem de base para o debate de sábado. Veja o documento: MobMulheres_boas vindas