Em março, várias mulheres se uniram para uma discussão em torno do gênero e da mobilidade. Que a cidade é hostil e traz medo e insegurança para as mulheres, foi unanimidade. Mas além disso, várias outras questões apareceram durante o evento. A roda de conversa teve a presença das arquitetas e urbanistas Izabel Dias e Letícia Bortolon, e da representante do Busão da Comunidade, Floricena Estevam. As três falaram um pouco de suas experiências na cidade, no planejamento da cidade e no monitoramento e fiscalização desas políticas e apontaram para a importância de se pensar diretrizes que contemplem diretamente uma cidade para as mulheres.

Seja por meio da iluminação pública, ou por meio de regularidade de horários de ônibus, ou da redução de tarifas e aumento de linhas na periferia, várias foram as iniciativas sugeridas ou abordadas. E a partir de tudo o que foi discutido no evento, o Movimento Nossa BH criou um documento que traz um resumo dos principais temas e propostas para a V Conferência de Política Urbana, que acontecerá neste ano. Se você acredita na importância de uma cidade mais acessível e amigável para as mulheres, acompanhe o MobMulheres, baixe e veja o relatório completo.

O relatório do evento pode ser baixado aqui: Relatório MobMulheres 2018