O direito ao transporte está sancionado em nossa Constituição, o que significa que as esferas públicas municipais, estaduais e federal têm que conceber políticas para que este direito seja garantido.

Esta gestão demanda recursos e importantes decisões que precisam ser tomadas e afetam a vida de todas e todos nós. Por isso, é de suma importância que a gestão da mobilidade urbana seja democrática e transparente, garantindo a participação popular nas discussões sobre a cidade. Afinal de contas, quem melhor do que nós, que nos deslocamos diariamente pela cidade, para dizer quais são nossos problemas e desafios e o do que precisamos para superá-los?

Uma gestão verdadeiramente democrática garante a realização de políticas inclusivas e eficazes. A transparência, especialmente nos gastos, permite responsabilizar os gestores, evita desperdícios de recursos públicos e garante acesso a todas as informações sobre o funcionamento de órgãos e políticas públicas.

O controle e a participação populares, quando realizados, nos permitem incidir de verdade sobre as decisões, ao invés de nos relegar ao papel de espectadores, porque não queremos ser plateia! A cidade é de todo mundo, e queremos participar ativamente das instâncias em que se decide sobre nosso viver coletivo.

#MêsDaMobilidade2018