Você já pensou sobre o impacto que as mudanças climáticas e a poluição do ar têm na vida urbana? Nas pessoas e animais?
 
Secas, inundações, aumento de temperatura, de um lado e do outro a péssima qualidade do ar que gera em nós doenças respiratórias e cardíacas, por exemplo. Todos esses efeitos afetam nossa saúde individual e coletiva, tendo impactos diretos na nossa qualidade de vida em geral.
 
Como a mobilidade urbana entra nessa discussão? A primeira coisa em que pensamos, claro, são as emissões de gases de efeito estufa. Por sorte, sabemos, ao menos, por onde começar! Reduzir o número de carro nas ruas, incentivando o uso dos transportes ativos e coletivos de forma radical! E BH tem isso previsto em seu Plano de Mobilidade e no Plano de Reduções de Gases de Efeito Estufa. Só falta colocar em prática!
 
Imagina uma cidade em que temos muito menos que os 1,5 milhões de carros de BH, e ninguém precise tanto assim deles porque o transporte coletivo chega em todo lugar, a todas as horas do dia e de forma econômica e eficiente?! E este transporte não pode ser composto por ônibus a diesel, especialmente com tecnologias antigas, soltando fumaça na cara dos pedestres. Dentre as substâncias que saem dos escapamentos dos veículos a diesel estão as partículas de poluição muito finas que entram na corrente sanguínea afetando cérebro, coração e pulmões, por exemplo.
 
Queremos um futuro de ônibus elétricos, silenciosos e pouco agressivos com o meio ambiente, de bondes e de trens. Todos interligados entre si. Mas não apenas de mobilidade motorizada vive a cidade. Por isso mesmo, queremos não apenas transporte coletivo de qualidade, mas também incentivos e infraestrutura para a bicicleta, ao caminhar e até para patinetes e patins. Praças, ruas e avenidas muito arborizadas, para que o deslocamento ativo seja também um momento de conexão com a cidade ao nosso redor.
 
Uma cidade mais sustentável e resiliente, porém, não pode (e não é) ser uma utopia. Precisamos disso tudo, e de muito mais, se quisermos continuar existindo nas cidades, para já.
 
Vem para o Mês da Mobilidade repensar nossa cidade! Vai ser durante TODO o mês de setembro! Participe!
 
#MêsDaMobilidade2018