Em continuidade às atividades realizadas de incidência e divulgação de um programa básico de mobilidade urbana na RMBH, a campanha #D1Passo na Metrópole se encontrou com representantes da candidatura de Antônio Anastasia (PSDB) ao governo de Minas Gerais.

O encontro contou com representantes do Colegiado Metropolitano, do Movimento Tarifa Zero BH, do Movimento Nossa BH e do Movimento Unificado dos Deficientes Visuais – MUDEVI. Os representantes foram recebidos por Luísa Barreto, uma das coordenadoras da campanha do Anastasia.

Na conversa foi apresentada a campanha #D1Passo na Metrópole e, de maneira resumida, os eixos e diretrizes do programa. Os representantes do MUDEVI aproveitaram a ocasião para apresentar um documento específico na questão das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.
A candidatura se mostrou solícita e aberta em relação ao documento da #D1Passo na Metrópole, afirmando que considera as propostas plausíveis e fruto de trabalho comprometido.
Foi dito também que o candidato Anastasia não deverá assinar o Termo de Compromisso da campanha, pois é diretriz da campanha não assinar nenhum documento desse teor. Entretanto, foi relatado que as proposta serão repassadas ao candidato Anastasia e de que tem certeza do acolhimento da maior parte delas, inclusive por estarem consonantes ao Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado, PDDI, que atualmente se encontra em tramitação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.
Por fim, a candidatura se comprometeu a responder a entrevista cruzada para os dois candidatos do segundo turno, que avaliará de maneira crítica e dialogada o posicionamento dos candidatos sobre as política de mobilidade metropolitana da RMBH.
Os eixos da campanha #D1Passo na Metrópole são:

#1 Estrutura e coerência do território da metrópole – Priorizar a equidade de oportunidades no território por meio de uma rede de mobilidade metropolitana que promova acesso às 34 cidades que compõem a RMBH.

#2 Andar e pedalar – Qualificar, estimular e priorizar o caminhar, o uso da bicicleta e outros transportes ativos (não-motorizados) de forma segura e em todos os locais da metrópole, especialmente no acesso à rede metropolitana.

#3 Mobilidade coletiva – Consolidar uma rede metropolitana de transporte coletivo, integrada, diversificada, por meio de vários modos de transporte simultaneamente, com ampla oferta e qualidade do serviço perceptível pelos usuários.

#4 Cargas – Incorporar a logística urbana de forma integrada à política de mobilidade, reduzindo os impactos da movimentação dos veículos de entrega sobre a circulação viária, meio ambiente e vizinhança.

#5 Gestão e recursos – Redefinir e unificar atribuições de gestão e planejamento da mobilidade urbana metropolitana, com reformulação da distribuição de recursos financeiros.

A campanha continuará buscando o comprometimento de todas as candidaturas ao governo por uma mobilidade metropolitana justa e sustentável. Fique atento para mais notícias.