Nesta semana iniciamos pelo quarto ano consecutivo o processo de contagem de ciclistas!

Durante todo o mês de setembro, vamos às ruas da capital mineira, em todas as nove regionais de Belo Horizonte, para saber quantos somos, que tipo de bicicleta usamos, qual nosso comportamento e outros tantos dados.

As contagens em BH têm como principal objetivo a criação de uma série histórica quanti e qualitativa sobre o uso da bicicleta na cidade em diversas áreas, além de permitirem o planejamento e definição de prioridades, podendo determinar a atração de locais de interesse e pontos de destino, a classificação das rotas por intensidade de uso, e a importância das análises de custo-benefício.

Abaixo, elencamos algumas razões para contarmos ciclistas:

  • o Plano de Mobilidade de Belo Horizonte prevê maior participação das bicicletas no sistema de mobilidade, embora estejamos carentes de ações para tal;
  • é preciso entender se novas infraestruturas para bicicletas vão gerar mais tráfego de bicicletas. Em caso afirmativo, quanto mais?;
  • financiamentos de infra-estrutura podem exigir métodos de controle mais estruturados para justificar os investimentos mesmo tratamento que é dado ao monitoramento do tráfego de automóveis;
  • a eficácia de campanhas de promoção precisa ser avaliada, contagens auxiliam os engenheiros a desenhar traçados de acordo com as reais necessidades, tornando eficiente o uso de recursos e tempo limitados;
  • mudanças sazonais no uso da bicicleta podem ser identificadas contagens de bicicletas permitem um adequado planejamento na manutenção de prioridades;
  • pode-se determinar a atração de locais de interesse e pontos de destino;
  • a classificação das rotas por intensidade de uso é importante sobretudo nas análise de custo-benefício.

Agradecemos a parceria do Nossa BH que viabilizou a pesquisa deste ano.

Veja os resultados das Contagens de 2016, 2017 e 2018 aqui.

Os resultados serão publicados ainda este ano, fiquem atentos às nossa mídias sociais.